Resenhas / 23 de fevereiro de 2016

Indicados ao Oscar 2016

Gosto de pensar que já virou tradição do Cintia disse comentar os filmes indicados ao Oscar, então tratei de assistir todos para escrever resenhas para vocês aqui no blog. Espero que gostem das recomendações e que assistam a premiação comigo no próximo domingo, dia 28 de fevereiro! Vou comentar tudo ao vivo no Twitter então me segue lá para não perder!

A Grande Aposta (The Big Short)

a grande aposta

Depois de muita pesquisa e vários cálculos, Michael Burry (Christian Bale) descobre que o sistema imobiliário dos Estados Unidos está prestes a quebrar. A partir daí, observamos quatro diferentes grupos de investidores (inclusive o de Michael, que passa a odiá-lo e pedir o dinheiro de volta desesperadamente) tentando achar jeitos de lucrar com a evidente destruição do sistema, mesmo quando isso significa que a vida de muitos americanos está fadada ao desastre.

O filme tem um elenco maravilhoso (Christian Bale, Steve Carrell, Ryan Gosling e Brad Pitt, tipo oi?) e uma história muito interessante porque não faz muito tempo que essa crise aconteceu de fato. Mas é bem complicado e mesmo com as inserções óbvias de pessoas como Selena Gomez para explicar termos econômicos, fica difícil acompanhar tudo. Dito isso, achei muito inteligente a maneira como o diretor mostra a mentalidade capitalista. Há momentos em que alguns personagens-chave lembram-se do contexto do que os fará lucrar e demonstram preocupação com o bem-estar americano, mas em nenhum momento essa preocupação os impede de seguir em frente e fazer dinheiro.

Gostei particularmente da atuação do Christian Bale, que se transformou fisicamente no peculiar Michael Burry. Não é minha ~grande aposta para o Oscar de melhor filme, mas vale assistir se você estiver querendo fritar uns neurônios.

Ponte dos Espiões (Bridge of Spies)

ponte dos espioes

James Donovan (Tom Hanks) é um advogado especializado em seguros que aceita defender Rudolf Abel (Mark Rylance), um espião soviético em plena Guerra Fria. Para o governo americano, a condenação de Rudolf não passa de uma formalidade, mas Donovan recusa-se a dar uma defesa fraca ao seu cliente e acaba se tornando essencial nas negociações entre os Estados Unidos e a União Soviética, quando um soldado americano é preso em Berlin.

Por se passar durante a Guerra Fria, o filme é bem sombrio e meio parado. A ação está muito mais nos diálogos e nos momentos inesperados de humor, que me ganharam completamente. Não costumo gostar muito de filmes de guerra mas Ponte dos Espiões é diferente porque além de didático e visualmente incrível, trata de conceitos como direitos humanos, patriotismo e preconceitos de uma maneira sensível e sutil. É um daqueles filmes que dá crédito ao espectador e eu amo isso. Vale a pena, especialmente se você tiver interesse em entender um pouco mais sobre a Guerra Fria.

Brooklin (Brooklyn)

brooklin

A jovem imigrante irlandesa Eilis Lacey chega aos Estados Unidos depois de muita insistência de sua irmã, que acredita que as oportunidades serão bem melhores na América. Logo Eilis começa a trabalhar, estudar e também a sentir muita falta de sua família. Ao se interessar por um garoto, a vida melhora por um breve período mas, quando Eilis volta à Irlanda, as coisas ficam confusas e ela se vê dividida entre dois países.

Eu esperava mais desse filme. Não achei a performance da Saoirse Ronan tão boa para ser indicada à melhor atriz e a história em si não me cativou tanto quanto eu imaginava que aconteceria. Considerando que é um filme de drama e romance, a paixão dos protagonistas não me pareceu forte o suficiente para justificar a trama e a vontade de Eilis em retornar aos Estados Unidos depois de sua volta para a Irlanda. A carreira americana também não parecia animá-la tanto, então não sei.

É um filme bonito fotograficamente mas, na minha opinião, não passou muito disso. Gostei bastante da abordagem no momento em que o motivo pela volta da Eilis é apresentado. Nessa parte, as atuações de Saiorse e de Jim Broadbent fizeram muita diferença. Ainda assim, a atuação mais tocante para mim foi a da mãe que, mesmo sem muitas falas ao longo do filme, era muito intensa em suas cenas. Infelizmente, Brooklin não é um filme que eu recomendo porque no todo, achei superficial. Se você assistiu e gostou, me conta nos comentários!

Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)

mad max

Eu enrolei tanto, mas tanto para ver esse filme que ele foi literalmente o que eu deixei por último – mesmo sabendo que estava indicado ao Oscar e que em algum momento eu teria que assistir para escrever esse post. Me arrependi.

O mundo como conhecemos acabou, é tudo areia e o pouco que sobrou de água e recursos é controlado pelo tirano Immortan Joe. Quando Imperatriz Furiosa (Charlize Theron linda como sempre) se rebela e sai dirigindo loucamente pelo deserto atrás de um lugar melhor para viver, a corrida começa.

O filme é maravilhoso e tem tantos elementos incríveis que é difícil até de achar por onde começar. Trilha sonora, fotografia, figurino, a história. Depois de assistir todos os filmes indicados, Mad Max foi duas horas de puro entretenimento. Vou deixar para comparar quando chegar na resenha de “O Regresso”, mas Mad Max tem um equilíbrio tão perfeito entre ação e desenvolvimento de personagens que você nem percebe o tempo passar. Uma das coisas mais impressionantes é que o filme não se estende em nenhum diálogo e não explica nada muito detalhadamente, mas você entende tudo, sente cada emoção e torce para as coisas darem certo como se fosse você dirigindo aquele caminhão macabro.

Nem preciso dizer que amei o fato da protagonista ser uma mulher forte e independente, mas que não deixa de ser humana. É muito legal ver isso num filme desse porte e o final foi tão satisfatório que deu vontade de começar a ver tudo de novo. A ação do filme é impecável, o detalhe da música é muito divertido e até os personagens menores são interessantes. Realmente gostei muito e sinto por não ter ido ver no cinema. Ainda não é meu favorito para o Oscar, mas não ficaria decepcionada se Mad Max levasse o prêmio.

Perdido em Marte (The Martian)

perdido em marte

Uma tempestade terrível acontece em Marte enquanto Mark Watney e seus colegas de equipe exploram o planeta em uma missão. Mark é dado como morto e acaba abandonado em Marte, sem comunicação com a Terra. Quando acorda e percebe que está sozinho, decide não desistir e começa a buscar maneiras de sobreviver.

O filme é muito divertido e inteligente. Lógico que dos parâmetros físicos e biológicos eu não sei avaliar nem aquela fórmula da água pra confirmar a proficiência das informações, mas o jogo de câmeras e os diálogos que ele tem consigo mesmo são muito legais. A história não é o que podemos considerar ~surpreendente, li críticas chamando de clichê. Não acho que chega a tanto porque a abordagem do filme é tão despretenciosa que você acabei relevando o que talvez fosse óbvio. Matt Damon está ótimo no papel e super mereceu a indicação à melhor ator apesar de que, na minha opinião, dificilmente ganha. Como filme, acho que Perdido em Marte também tem poucas chances de levar o Oscar, mas vale muito a pena assistir pela diversão e entretenimento.

O Regresso (The Revenant)

renevant

Então. Não gostei.

Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) é um homem importante na expedição de caça de peles. Depois de ser brutalmente atacado por um urso, Hugh acaba ficando para trás sob os cuidados de John Fitzgerald (Tom Hardy), que não se importa nem um pouco com a situação e segue em frente sozinho.

Não gostei porque achei arrastado, não me envolvi no sofrimento do protagonista e sinceramente, aquele urso tava tosco. Não achei a atuação de Leonardo DiCaprio tudo isso (estava muito melhor em O Lobo de Wall Street) e independente de qualquer coisa, ver um filme de duas horas e meia cuja história é única e exclusivamente movida por um desejo de vingança me deixou frustrada.

Comparo O Regresso com Mad Max porque acho que ambos seguem linhas parecidas de roteiro. Condições naturais complicadas, missões solitárias e vilões fortes. Mad Max porém tem muito mais ação, muito mais sentimento e muito mais profundidade, sem precisar apelar. Os dois filmes tem um cuidado muito óbvio com fotografia e, apesar de O Regresso ter mais vantagem no cenário, acho que Mad Max não fica atrás.

Na minha opinião, O Regresso foi raso e perdeu uma ótima oportunidade de nos ensinar mais sobre valores e sobre a mente de um homem. Pra mim, o melhor personagem do filme é Fitzgerald. Determinado e sem medo de expressar sua contrariedade nos mais diversos momentos (fui a única pessoa no cinema que riu no começo), é ele que acaba nos fazendo cair na realidade sobre o conceito de vingança e sobrevivência.

Contem comigo reclamando no Twitter se O Regresso levar o Oscar de melhor filme e não se esqueçam de me falar o que vocês acharam do filme (e da minha opinião sobre ele) aqui nos comentários!

O Quarto de Jack (Room)

room

Odiei essa tradução de nome, mas entendo que room não é fácil. Vamos à história.

Joy (Brie Larson) vive em cativeiro com seu filho de cinco anos, Jack (Jacob Tremblay), num quarto pequeno e sem janelas. Enquanto Joy se esforça diariamente para manter uma vida “normal”, a curiosidade de Jack sobre as coisas desperta nela uma nova motivação para tirá-los de lá.

O mais incrível sobre essa história é o que acontece depois. Room é sem dúvida o filme mais original e mais tocante de todos os indicados. Como espectadora, eu não fazia ideia do que esperar e nunca conseguiria prever os questionamentos que seguiram. Room é um daqueles filmes que te faz refletir, sabe? Eu me colocava no lugar da Joy o tempo todo, pensando no que eu faria, no que pensaria. Me colocava no lugar do Jack também, e que coisa difícil foi me imaginar na situação dele. Acho que livros e filmes têm um poder imenso de abrir a nossa cabeça e de nos fazer enxergar o mundo por perspectivas diferentes e Room é exatamente isso. Foi o meu favorito e tô torcendo 100% para Brie Larson como melhor atriz.

Spotlight – Segredos Revelados (Spotlight)

spotlight

Spotlight é o nome da equipe editorial do jornal The Boston Globe que investiga casos especiais para reportagens na publicação. Baseado numa história real, o filme conta a trajetória da equipe que desmascarou o sistema que acobertava dezenas de casos de pedofilia na cidade. Lógico que pelo tal sistema envolver a igreja católica e uma série de pessoas influentes da ~lei, cada descoberta é mais chocante que a anterior.

Foi dos meus preferidos da lista. Com um elenco diferente (Michael Keaton, Mark Ruffalo, Rachel McAdams e Stanley Tucci) e uma trilha sonora muito bem produzida, Spotlight é um filme super forte. Se passa em 2001, então o escritório é todo antiguinho e o figurino também, o que é sempre legal de ver especialmente agora que já tô ficando velha o suficiente para ver computadores velhos e lembrar da “minha época”. A história em si é bem pesada porque afinal, trata de pedofilia. A gente descobre as coisas junto com os personagens e isso contribui para tornar o filme ainda mais emocionante. Achei muito bom, vale a pena assistir!


Tô super ansiosa para a premiação e ainda tem alguns filmes indicados que não consegui assistir (Trumbo, Carol, Steve Jobs e Creed). Pretendo escrever um post falando sobre os outros filmes que assisti em fevereiro (sim, assisti muitos filmes esse mês) então aguardem! Enquanto isso, leiam o post  de filmes de janeiro que tem resenhas de outros indicados e não se esqueçam de me contar nos comentários aqui quais filmes vocês já viram, o que acharam e se deu vontade de assistir mais algum depois de ler esse post!


Tags:  Academy Awards Filmes



Cintia Freitas
Sou formada em Tradução e em Marketing, gosto muito de escrever e odeio queijo. Todas as informações são igualmente importantes.




Posts Relacionados




33 Comentários

Feb 23, 2016

Cíntia,

Achei Jobs chatíssimo, Carol gostei muito, Quarto de Jack achei me surpreendeu porque eu não esperava muita coisa. Spothlight muito bom. Mas amei, amei de paixão foi a Garota Dinamarquesa, sofri, torci, chorei. Para mim foi o melhor filme que assisti esse ano.


Feb 23, 2016

Cyntia, tive a mesma opinião sobre O Regresso. Fui ver pelo blabláblá todo, e reconheço cada uma das peculiaridades de maquiagem, direção, fotografia. Mas, mal entendia Tom Hardy e achei que se Dicaprio ganhar o Oscar, é pq ele respirou MUITISSIMO bem. Pq ali respirou viu? Eu sentia a fungada no meu cangote. AMEI Spotlight , mas meu preferido mesmo foi ‘ O quarto de Jack ‘ . Que filme! escrevi sobre :

O drama emocionante ´O quarto de Jack’ ( para mim a melhor experiência cinematográfica pré-Oscar até agora) é sobre a vontade de transformar a realidade que nos cerca em muito mais do que ela nos apresenta. É também sobre aquela força intensa infantil que, mesmo sem entender tudo o que se passa,é capaz de converter o ruim em bom.
->Room ( no original), indicado ao Oscar de melhor filme, conta a história de mãe e filho sequestrados que vivem dentro de um quarto…e se você viu tanto Law and Order SVU e Criminal Minds quanto eu, conhece bem a história de malucos que sequestram pessoas e as mantém em cárcere privado por anos.No entanto, o diferente dessa narrativa não é só a trama e sim a forma como ela foi contada:através do olhar da criança que nasceu em cativeiro e não conhece nada além dele.Entre lágrimas,fungadas, lenços e aquela olhadela para a pessoa ao lado (por favor me abrace) , eu não pude deixar de ficar impressionada com a atuação de Jacob Trembla, o menininho que faz Jack, e muito menos de Brie Larson, que interpreta a mãe. Além também de apreciar muito cada escolha de roteiro, direção e fotografia. Não tem exploração à violência física, não tem ação e nem é uma super-produção hollywoodiana, mas dê uma super chance, pq é um mergulho profundo nos sentimentos das pessoas envolvidas em uma tragédia, e também nos seus, se você deixar. Nota 10!


    Mar 04, 2016

    “Eu sentia a fungada no meu cangote” kkkkkkkk foo bem isso! Concordo super e também não curti.


Feb 24, 2016

Cíntia!
Adorei o texto, confesso que não assisti nenhum dos filmes que vc citou, mas… Já sei por onde vou começar rs.

Abraços!


Feb 24, 2016

Adorei o post! Me lembrou que tenho que assistir todos esses filmes antes da cerimônia hahaha
E também estava procrastinando para assistir Mad Max, mas agora estou super animada para assistir!
Primeira vez comentando aqui, adoro seu trabalho!


    Feb 24, 2016

    Obrigada pelo comentário, Natalia! Assiste Mad Max e depois me conta aqui o que achou!


Feb 24, 2016

Eu gostei de “Brooklyn” !
Chorei muito pois me o identifiquei com a história . Sai do conforto do meu lar para buscar um vida melhor morando fora . Chorei muito em várias cenas pois me via no papel da irish girl.
Acho que ele emociona um público específico.pesaoas que moram longe de sua terra natal e Tbm a população irlandesa que sabe do histórico de seu povo.


    Mar 16, 2016

    Amei Brooklin também Bianca!
    Por que também me identifiquei com a historia.. Sai da casa dos meus pais pra trabalhar em outra cidade longe e tals, longe da família, amigos, etc. Me emocionou muito.
    O que mais me chamou a atenção realmente foi a fotografia, que composição! Não achei o romance superficial, só não foi aquela coisa grudenta e chata.
    Todavia meu preferido era Room, como o da Cíntia :)


Feb 24, 2016

Tenho o mesmo sentimento sobre O Regresso, achei o filme super valorizado. Pra mim, sinceramente, não é tudo isso. Não nego que a atuação do Di Caprio esteja bem da boa, mas o filme não me pegou em nenhum momento, nem a história, nem o sofrimento dele e quis morrer quando mataram o urso(mesmo sendo computação gráfica).


    Feb 24, 2016

    Vdd, mata o DiCaprio mas não mata os bicho.


      Mar 04, 2016

      Parece que ouvi tu dizendo isso kkkkkkkk


Feb 24, 2016

Olá Cintia!

Até o momento só assisiti Mad Max, Spotlight e O Regresso. Eu fiquei enrolando também para assistir Mad Max, o trailer não me atraiu e como eu já tinha assistido os antigos esse ano eu já tinha visto areia e carros suficientes pro ano, mas valeu muito a pena e mesmo sendo um filme bem contínuo o que achei que se tornaria cansativo, acabou na verdade sendo bem emocionante. Spotlight foi uma surpresa pra mim, mas eu já deveria esperar, pois sempre acabo me surpreendendo com esses filmes com temáticas mais sérias. A profundidade do filme e o modo como ele conectou as evidências ficou muito bem trabalhadas, quem assiste o filme consegue conectar juntos com os atores as ideias e montar o quebra-cabeça que vai te levando a ficar enojado com cada evidência encontrada. Agora sobre O Regresso eu já tenho uma opinião diferente em algumas partes, achei a parte do urso boa, porém com alguns machucados exagerados, sei que é baseado em uma história real, mas acho que não foram TANTOS machucados assim, a profundidade que aquilo demonstrava teria se tornado uma hemorragia fulminante, não acho que teria sobrevivido, além de que tem um momento que o urso pega a mão dele e chacoalha de um jeito que teria quebrado com certeza, mas não quebrou, ponto negativo para essa parte. Fora isso acho o restante muito interessante, tem uma ótima fotografia, a trilha sonora é básica, mas acho que o filme tenta trazer emoções mais visuais do que sonoras, não senti falta de algo mais produzido, e ainda pra deixar tudo ainda melhor acho que o dono do cinema onde assisti decidiu diminuir em muito a temperatura da sala, quase um cinema 4D que piorou com o psicológico de ver tanta neve haha Gostei do filme, mas concordo com você que se tivesse focado no homem lutando pra sobreviver, e não lutando pra sobreviver e se fingar teria sido melhor, mas fazer o que, deve seguir o que aconteceu de verdade. Dica de filme: Já assistiu Questão de Tempo? Se não eu recomendo, é muito bacana!


    Feb 24, 2016

    Um ponto que esqueci, aquele olhar do DiCaprio no final olhando diretamente pra quem assistia, completamente perceptível o desespero, só faltou falar “Me dê um Oscar pelo amor de Deus” kkk


Feb 24, 2016

Ontem assisti ‘Brooklyn’ sem lembrar que tava concorrendo ao Oscar. Eu já tinha visto a lista de indicados, mas nao lembrava que ele tava lá. Agora que vi teu post que lembrei dele na lista, e na minha opinião ele é só mais um daqueles filmes tipo sessão da tarde que a gente assiste só pra passar o tempo. Eu gostei da história, fiquei envolvida (com medo dela não voltar mais pros eua, pro marido kkkk). Mas pra ganhar prêmio de melhor filme acho meio difícil.. Tô pra assistir os outros, e tuas resenhas me deixaram com mais vontade hahah Beijos. =)


Feb 24, 2016

Mad Max é o meu filme favorito de 2015, mais ainda do que Star Wars, do qual sou mega fã.
Gostei pois é um filme que envolve o espectador num universo bem original, ainda que possua um roteiro bem raso e simples.
O filme é bom pois não trata o espectador como um idiota que precisa que tudo seja mastigado e esmiuçado na tela. Muito do universo é explicado apenas na mente de quem assiste(como o spray na boca, o símbolo ao V8 juntando os dedos das mãos, o Valhalla e toda a parte religiosa). Como nunca assisti nenhum dos outros 3 filmes todo o universo era novo para mim.
Queria muito que esse Filme ganhasse o máximo de prêmios possíveis, mas sei que isso não ocorerrerá. Filmes como esse, são sempre desvalorizados nas premiações e isso podia começar a mudar.
A minha única critica à Mad Max é que ele não explica nada da história do próprio Max, nem mesmo uma explicação implícita. Então algumas coisas ficam muito “jogadas” no ar, como o velhote e a garota que aparecem na alucinação dele no início do filme (quem caralh*s são essas pessoas?). Fora esse detalhe, o filme é NOTA 10.


    Feb 24, 2016

    Nossa, que comentário ótimo sobre o filme! Amei e super concordo com vc :)


Feb 24, 2016

Cintia, você viu os filmes no cinema ou foi no torrent mesmo?


Feb 24, 2016

O Leonardo di Caprio deveria ter ganho um Oscar pelo O Lobo de Wall Street. De todos os filmes dele, esse foi o q mais gostei. Ainda não vi O Regresso e acho q nem vou ver, pq não é o estilo de filme q gosto, mas como ele já ganhou prêmios por ele, acredito q dessa vez ele leva no Oscar né? Tô na torcida tb pra q ele ganhe, ele é um bom ator. Quero muito assistir Spotlight, pois sou muito fã de Mark Ruffalo e Rachel McAdams, mas o q me impede ainda é não saber se tem cenas fortes dos adultos com as crianças. Tem? Ou só mostra situações q a gente deduz q naquela hora aconteceria o abuso? Cintia, te espero ansiosamente no Twitter domingo :-D Bjosss


    Feb 24, 2016

    Oi Cris! Spotlight não mostra absolutamente nada de pedofilia, são só os personagens contando e falando sobre as coisas que aconteceram. Assiste, sim, é muito bom!


      Feb 24, 2016

      Legal! Vou assistir então. Mas antes, vou te ver na Fátima Bernardes :-D Bjossss


      Feb 27, 2016

      Assisti ao filme e, nossa, q filme! A cena q achei mais chocante foi aquela em q a jornalista bate na porta do padre e ela, q por ser uma jornalista e teoricamente já ter visto de tudo, mostra seu lado humano ali, ficando de boca aberta com o q o houve. Fiquei umas duas horas muda depois desse filme, assim, do tipo “my God”! :-o Eu me lembro vagamente desse escândalo na mídia (tb to ficando velha kkkkk. Mais velha q vc, tenho 34 :-D ), mas foi bem perturbador ver as pessoas relatando em detalhes aquelas coisas. São crianças porra, crianças! Ainda no embalo do Oscar, assisti hj Carol. Se vc ainda não viu e não tiver reservas com o tema, o filme é sensacional. A fotografia é perfeita, e a riqueza de detalhes é incrível. Esse é um filme q a gente precisa ver mais de uma vez pra prestar atenção a todos os infinitos detalhes e o clima no ar em cada gesto, olhar, ação. Embora eu esteja torcendo pelo Di Caprio, acredito q The Martian vá levar o caneco. Cintia, vc gosta de livros e HQ’s? Se sim, qual estilo? Sou louca por livros e posts sobre literatura aqui tb seriam maravilhosos! Bjoss


Feb 25, 2016

Cintia, me abraça, de todos os que eu vi, a minha opinião foi a mesma. Quero muito que Room vença, senão eu vou xingar muito.


Feb 26, 2016

Cintia entrei agora aqui no blog e estou adorando. Assisti a maioria dos filmes e concordo com a maioria das opiniões.Te vi hoje no Encontro pois não te conhecia,eu e minha filha estamos viciadas nos teus vídeos,ela manda bjs pro Calvin.


    Feb 26, 2016

    Obrigada, Renata!! Que bom que tô recebendo gente nova por aqui, fico muito feliz :) Manda um beijo pra sua filha!


Feb 26, 2016

Mais um ano em que eu digo que vou assistir aos filmes antes da cerimônia e que falho miseravelmente hahaha Só assisti Mad Max e concordo muito com o que você escreveu sobre ele. É maravilhoso.
Obrigado por ter resenhado todos os outros filmes, pelo menos agora por ter lido elas eu me sinto um pouco menos pior por não tê-los assistido hahahaha. Um beijo Cintia!

http://www.textrovertido.com.br/


Feb 27, 2016

Amei Carol, a garota dinamarquesa (os personagens principais interpretam pra caramba e o filme é muito emotivo e delicado,aliás,esses dois filmes são tocantes pq tocam em assuntos delicados,super atuais! Perdido em marte é divertido,O regresso é bem feito,mas bem violentozinho para mim,Spotlight é bom e tbm mete o dedo na ferida, Oquarto de jack fiquei chocada pq nao tinha lido nada antes,filme excelente,assim como as interpretações.Mad Max é mara,Ponte dos espiões vi pq gosto de assistir filmes com tema parecido e amo o Tom!A grande aposta é legal,mas como disseram,meio complicado de entender alguns termos e muito longo,daí dormi..falta ver os 8 odiados.Ah,recomendo as sufragistas,os 33 tbm!


Feb 27, 2016

Estou enrolando para assistir Mad Max, mesmo lendo muita coisa boa sobre. Eu tenho trauma dos filmes anteriores da franquia, sempre achei muito ruim. Parabéns pelo post!


Feb 28, 2016

Quanto ao Regresso discordo e concordo… Assisti ele muito antes de lançar de tanto que estava empolgada com o trailler. Porém me decepcionei um pouquinho… Quer dizer é um filmaço em vários aspectos, e entendo q o diretor queria um filme onde o visual contasse mais q as palavras, por isso o filme quase n tem diálogo. Concordo no q você disse q eles poderiam ter usado o filme para passar valores e tals, mas se vermos de outro aspecto o que um homem q tve seu filho assassinado vai fazer?? Além de q a paisagem só inspira solidão e o faz pensar no filho 24h por dia.
Achei a atuaçao do Dicaprio muito digna, e sofri junto com ele… A fotografia é maravilhosa, e tve muitas cenas de tirar o fôlego.
Só me decepcionei com o filme por ser muito longo, dava para cortar várias cenas desnecessarias e torna-lo menos cansativo.


    Feb 28, 2016

    O relacionamento dele com o filho foi super mal explorado, não senti amor nenhum ali e por isso até achei toda a história da vingança frustrante, sabe?


Mar 01, 2016

Oi Cintia. Ter assistido o oscar te acompanhando no Twitter foi sensacional. É mt bom ver uma pessoa que valoriza e entende de cultura e arte comentar sobre tal sendo “gente como a gente”, me entende?
Sobre o Regresso, idem a sua opinião e a maioria de todos que comenotário aqui. Eu li o livro, e olha, mil vezes melhor que o filme. Não é arrastado nem pedante. Pelo contrário, te dexa tão envolvido que você quer comer as páginas.
Garota Dinamarquesa e Joy foram outros que eu assisti. Gostei. Mas nenhum, nenhum, NENHUM se compara a Room. Que filme absolutamente sufocante e lindo. Virei stalker do Jacob Trembley e da Brie após assisti-los.
Quanto a Mad Max… mesmo depois dos oscars que ele faturou e mesmo após tantos comentários positivos sobre, ainda n me sinto nem um pouco motivada para assistir. Sabe aquele negocio, não julgue um livro pela capa? Pois é. Tou julgando e muito. Olho pra aquelas cenas de gentr careca e empoeirada e não consigo sentir nada de empolgação. Vai ver estou perdendo, mas fazer o que né?
Spotlight tá na ponta da agulha aqui. Não posso deixar de assistir o melhor filme do ano!
Abraço, Cintia.


Mar 02, 2016

Eu acho que sou a única pessoa no planeta que ainda não assistiu Mad Max! E acho que preciso fazer isso urgentemente. hahahah
Quero muito assistir Spotlight!!! Fiquei ainda mais curioso pra ver depois da sua resenha.


Mar 04, 2016

Eu estava torcendo muuuito por room ou spotlight, foram os filmes que mais prenderam minha atenção, e que tomou conta da minha mente por um bom tempo, mesmo depois de terminar. E fiquei feliz com o resultado. Quando a Dicaprio, fiquei feliz dele ter ganhado, pq ele já deveria ter sido premiado em outras produções, melhores até que a atuação de O regresso. E fiquei muito feliz tb de os oito odiados ter ganhado a estatueta de melhor trilha sonora, apesar de ser o filme de Tarantino que eu menos gostei.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *