Diário / 29 de dezembro de 2010

Retrospectiva 2010

Artistas que se destacaram

Katy Perry – gostei muito do trabalho dela esse ano. Lançou músicas boas, clipes interessantes e bem produzidos e fez ótimas apresentações ao vivo. Assisti várias entrevistas dela, também – super simpática e acessível além de muito bonita.

Pixie Lott – novinha e bem merecedora do sucesso que está fazendo. Ela tem uma voz diferente e um estilo visual totalmente particular. A postura dela é bem natural e a vibe dos vídeos é sempre legal, mesmo quando a música é mais pra baixo. E ela sim, lindona.

Melhores séries de TV

Eu sou meio bitolada no que diz respeito a séries de TV. Não gosto de começar a assistir uma série diferente quando ela já está no meio da quinta temporada, por exemplo. Se realmente me interesso, volto na primeira temporada e começo a assistir do começo. Existem séries mais aleatórias que assisto sempre e gosto, mas que não preocupo em acompanhar de fato, tipo “The Big Bang Theory”, “Supernatural”, “House”, “Two and a Half Men” e a eterna “Friends”, entre outras. Para lista aqui, vou me resumir às séries que assisti esse ano, exclusivamente.

Everybody Loves Raymond – terminou em 2005, depois de nove temporadas. Recomendo muito.

Glee – humor inteligente. É uma pena que as pessoas tenham tanto preconceito contra musicais.

Gossip Girl – You know you love me.

Melhores músicas 

Eu sofro daquela doença de gostar de uma música = ouví-la repetidamente até o final dos tempos. Não importa se a música é nova ou não, se descubro e gosto, ouço inúmeras vezes até achar outra que me agrade tanto quanto a anterior. Selecionei aqui as principais da categoria Repetição Eterna 2010.

DJ Got Us Fallin’ in Love Again – Usher

Ridin’ Solo – Jason Derulo

Terrified – Katharine McPhee

Insomnia – Craig David

Free Fallin’ – John Mayer

Gravity – Pixie Lott

Raise Your Glass – P!nk

Quitter – Carrie Underwood

Melhores filmes

Foram muitos filmes, esse ano. Difícil lembrar de todos para selecionar os que achei melhores, mas aqui vão alguns que marcaram mais.

Easy A – ótimo. É o tipo de humor que me conquista fácil.

Kick Ass – surpreendente.

Toy Story 3 – clássico.

Harry Potter e as Relíquias da Morte (parte 1) – duas horas e meia de filme que passaram em menos de cinco minutos.

Remember Me – não dava nada para o filme, achando que era só mais um. Mas o desfecho, nossa.

Melhor evento

Show dos Backstreet Boys. Foi  um sonho de infância realizado, sem dúvida. Aprendi que gostarei deles até o dia da minha morte.

Gastronomia

McDonald’s – sempre soube que gostava de McDonald’s, mas esse ano concluí que meus lanches lá serão parte da minha vida para sempre. Adoro e não enjoarei nunca.

Comida japonesa – aprendi a gostar de uns sushizinhos básicos. Nada muito comida japonesa comida japoneeeesa, mas já é um avanço.

Minha própria comida – cozinhei bastante esse ano. De miojos e ovos cozidos a frangos assados e almôndegas. Sou chef, beijos.

Vida virtual

Blog – cresceu e multiplicou o fator filhinho da mamãe por setecentos e vinte e nove.

Twitter – apesar de fazer parte da rede há mais tempo, foi esse ano que viciei.

Facebook – sou meio frustrada com o meu e ainda não sei como vou lidar com isso. Mas gosto.

Orkut – assassinei a sangue frio.

Youtube – mudou de função para mim. Fazer os vídeos foi muito legal e o vlog foi super bem recebido. Tenho planos legais para o ano que vem.

Formspring – descoberta desse ano, mesmo. É um bom passatempo.

Moshi Monsters – o cúmulo da minha personalidade competitiva.

Modas, tendências, notícias e acontecimentos que me passaram despercebidos

Os “coloridos” – tanto as bandas que originaram o “movimento” quanto seus fãs. Não saberia reconhecer uma música sequer dessa leva, não sei por que se vestem com todas aquelas cores e não entendo como conseguiram tanta fama. Simplesmente não faço idéia do que se tratam.

Pessoas que ficaram presas na mina – não sei por que aconteceu, não sei por quanto tempo ficaram lá, não sei em que país foi e não sei nem se foi numa mina mesmo que ficaram presas. Ouvi outro dia que vão fazer filme dessa história. Todo esse processo foi completamente ignorado por mim e nem sei por quê, também.

Avatar – não assisti e provavelmente não assistirei. Não me despertou interesse algum.

Calças Carrot – não tenho certeza se esse é o nome. É aquele tipo de calça que TODAS as mulheres tavam usando esse ano, justa na canela e larga em cima. Sabe? Que parece que a pessoa tá usando fralda? Acho horrível, não me condenem.

Sandra Bullock – fizeram o maior estardalhaço com a vida pessoal dessa mulher esse ano. No fim não entendi se ela se separou do marido porque ele botou um chifre nela ou porque ela botou chifre nele com aquele jogador de golf que por sua vez traiu a mulher com novescentas outras mulheres (pff), não sei nem se realmente se separaram. Lembro que no meio de todo o barraco, eu vi uma foto dela com um neném negro no colo, parecia que tinha adotado a criança. Ou seja, né. Ficamos assim.

Mortes

Beto Carrero – tá. Ele morreu em 2008, mas eu só descobri esse ano e não me conformo.

Piores filmes

O Último Exorcismo – lixo. Quando você acha que a história vai começar a se desenrolar o filme acaba. Toscamente. Não sei se eles fizeram isso de propósito, pensando numa possível continuação, mas olha. Lixo.

Shrek Forever After – foi meio decepcionante, eu esperava mais por ser o último da série.

Date Night – colocaram todas as cenas engraçadas no trailer. Funcionou porque você fica com vontade de ver o filme, mas né, chato.

Piores artistas e seus respectivos trabalhos

Black Eyed Peas – gostava deles quando apareceram pela primeira vez há uns anos atrás. De lá pra cá é uma música chata atrás de outra. Não vou nem comentar que a Fergie parece um dragão e é desafinadíssima.

Mariah Carey – ela sempre foi uma incógnita para mim. Na época em que eu ainda assistia o Top 10 da MTV, ela dava os peitos as caras de vez em quando. Mas aí não sei, foi ladeira abaixo. Rolando, diga-se de passagem – engordou de um jeito assim, indescritível.

Lady Gaga – tosca.

Fatos aleatórios

Unhas e esmaltes – retomei minha antiga obsessão por unhas. Quando tinha uns treze anos minha mãe me deu um kit de coisas para unhas e eu mudava de cor de esmalte pelo menos duas vezes por semana. Isso tudo agora plus o advento da internet que me faz passar consideráveis horas vendo sites sobre o assunto.

Abstinência televisional – assisti pouquíssima TV e não senti falta nenhuma.

Salto alto – comprei um sapato maravilhoso com um salto totalmente improvável, achando que ia fazer o maior sacrifício dos sacrifícios para me manter equilibrada nele. Além de ótimo de andar, é super confortável. Win.

Não troquei de celular – acho que o celular que eu uso tem mais de três anos, o que significa que ele já é considerado paleozóico no planeta dos celulares. A vantagem é que, apesar dele cair no chão com uma frequência muito maior do que deveria, se despedaçando impiedosamente TODAS as vezes, ele é inabalável. Não fica nem riscado.

Considerações finais sobre 2010

Vivi cinco anos em um, esse ano. Sinceramente. Aconteceu tanta coisa que é até difícil lembrar. Passei uns perrengues memoráveis, pressões psicológicas desproporcionais à minha idade e tive problemas que foram muito além da cota prevista nas leis dos direitos humanos. Mas foi bom, aprendi bastante sobre mim, sobre pessoas e sobre a vida de modo geral. Isso é sempre bom. Mas que foram cinco anos em um, foram.

Expectativas e planos para 2011

Escrever um diário – ganhei um livro (diria agenda, mas é tão maravilhoso que vai além da categoria agenda) lindo para esse propósito e tô que não vejo a hora desse ano acabar para poder começar escrever nele.

Voltar ao Canadá – estou providenciando a documentação para o visto, veremos.

Aprimorar minhas técnicas culinárias – tenho fé.

Cuidar melhor do meu cabelo – tenho muita fé.

Acho que é isso, meu povo. Apesar de 2011 não ser um número muito visualmente agradável, acredito que será um bom ano. Agradeço muito à todos que participaram do blog tanto lendo como comentando. Obrigada e voltem sempre!

Beijos e um ótimo ano novo à todos!

(e por ótimo ano novo entendam não morram de coma alcóolico na madrugada do dia primeiro).


Tags:  Retrospectiva



Cintia Freitas
Sou formada em Tradução e em Marketing, gosto muito de escrever e odeio queijo. Todas as informações são igualmente importantes.




Posts Relacionados




2 Comentários

Mar 13, 2015

Como assim? Beto Carrero morreu? :O hahaha
Adorei o site ^^)


Mar 13, 2015

lady gaga: mito heuheuheu cintia: linda (e com uma das vozes mais agradáveis que eu adoro)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *