Comportamento / 16 de julho de 2010

Frescuras de Quem Viaja pra Fora

Desde antes de ir para o Canadá eu percebia que existem dois tipos de pessoas que viajam para fora. As que têm Frescura e as que não. Estar aqui só me ajudou a identificar melhor o que é frescura e o que não é.

Ficar colocando palavras do idioma estrangeiro no meio de conversas em português com o único e exclusivo objetivo de parecer ~chique.

Totalmente desnecessário. É verdade que depois de muita exposição ao idioma às vezes o cérebro dá umas falhadas para lembrar uma palavra ou outra – mas daí a esse tipo de coisa:

– Anyway, eu estava andando por lá e you know, aquele lugar é simplesmente incredible.

Não.

Tudo do país estrangeiro é melhor.

Não é verdade. E as praias invejáveis que só o Brasil tem? O clima ótimo e variedade inacreditável de comidas boas? A pessoa que sofre de Frescuras de Quem Viaja para Fora não se importa com nada disso. Adquire um bronzeado verde-transparente-olha-só-dá-para-ver-as-minhas-veias, faz as três refeições do dia no McDonald’s e fala para quem quiser ouvir que neve é a coisa mais maravilhosa que já presenciou.

A verdade: É muito chato ficar sem sol, é decepcionante não achar comidas que deveriam existir no mundo inteiro, neve dá trabalho e só é legal nas primeiras 24h, depois fica monótono.

Brasileiro faz tudo errado, Canadense/Americano/Francês/Inglês/etc é que faz as coisas direito.

Todos fazem coisas certas e erradas. Deveria ser óbvio, mas não é. A pessoa que tem Frescuras de Quem Viaja para Fora passa por uma lavagem-cerebral espontânea e quando volta para o Brasil todo mundo é idiota porque é de “terceiro mundo” e não sabe de nada da vida.

Brasil é “Terceiro Mundo”.

(“Subdesenvolvido”, “em desenvolvimento” ou qualquer que seja o termo policamente correto da semana).

Depois de conhecer um país considerado de “primeiro mundo”, não há como negar as diferenças gritantes que esse rótulo representa. Chegar de avião no Brasil observando tudo de cima é feio de ver. É sujo e bagunçado, dá vergonha. Canadá não. Tudo organizado e verde (branco se for inverno). Não se vêem muitos mendigos na rua, o dinheiro é bem tratado, as praças e centros de recreação públicos são impecáveis. Ambulâncias são rápidas e polícia também.

A pergunta é: precisa ser de primeiro mundo para ter tudo isso? Porque assim, a pessoa que sofre de Frescuras de Quem Viaja para Fora não joga lixo nas ruas da Suíça mas joga nas de São Paulo. Respeita os sinais de trânsito na Alemanha, mas ignora totalmente os do Brasil e ainda buzina ensurdecedoramente todas as vezes que se sentir contrariada. Interessante, né?!

Estar em territórios estrangeiros é muito bom. Pessoas diferentes, lugares diferentes, clima, preços, animais, carros, árvores, cabelos, sapatos – tudo diferente. É uma experiência que eu recomendo para todo mundo. O problema, no meu ponto de vista, é ir para outro país, aprender esse monte de coisa nova e esquecer de trazê-las consigo de volta para o Brasil.

Frescuras de Quem Viaja para Fora é doença contagiosa. Basta uma pessoa infectada recém-chegada de viagem começar a conversar com outras para o vírus se espalhar. “- Isso não é vida”, “- Tem que sair daqui mesmo”, “- Esse país é uma merda”.

Mas ó, tem cura. É um remedinho básico que geralmente pode ser encontrado lá no fundo do seu cérebro. Chama-se Consciência.  O genérico chama-se Humildade. Os médicos recomendam doses diárias. É simples: Lembre-se de que o Brasil é o seu país e consequentemente, sua responsabilidade também. Não importa o quão melhor você acha que determinado país é, Brasil continua sendo o lugar de onde você realmente é. Merece um pouco de respeito.

E eu nem me considero patriota, hein. Não mesmo.

(Editado – Post originalmente publicado em 16/07/2010)


Tags:  Observações



Cintia Freitas
Sou formada em Tradução e em Marketing, gosto muito de escrever e odeio queijo. Todas as informações são igualmente importantes.




Posts Relacionados




27 Comentários

Mar 13, 2015

Oba, descobri que não tenho frescura hauhauhsa
Concordo com o seu post, ja moro há um ano fora e percebi tudo o que voce citou em muitas pessoas que conheci. Respiro fundo cada vez que ouço babaquices desse tipo.

O site tá ótimo!
Bjks.


Mar 13, 2015

Eu conheço alguns colegas que voltaram da França, depois de um ano de intercâmbio e apresentaram essa síndrome de Frescuras de Quem Viaja para Fora. É absolutamente irritante. Vou recomendar esses remédios para ver se eles melhoram!
P.S.: O site tá incrivelmente lindo! Parabéns!


Mar 13, 2015

confesso que tenho um pouquinho disso, de querer procurar uma qualidade de vida melhor que a SP. mas acreditar que os outros países são perfeitos e que tudo no Brasil é ruim, é uma puta burrice. Falo de São Paulo pq moro aqui, é uma cidade maravilhosa de se morar apesar de tudo e olha! NÃO TEM NEVE! *-*


Mar 13, 2015

Mais pura verdade, consigo enxergar algumas pessoas que voltaram de Paris assim, o Brasil tem muito o que melhorar e nem precisamos sair do país para perceber isso, concordo com você a responsabilidade também é nossa. Aí como tô amando esse site.


Mar 13, 2015

concordo contigo,e enquanto os brasileiros ignorarem os problemas do próprio país ele vai continuar assim, desigual, injusto e extremamente corrupto.


Mar 13, 2015

Cíntia concordo com vc em alguns pontos;
Mas um dos principais fatores para a país não se tornar de “primeiro mundo” é a sua população. É uma pena que a maioria dos brasileiros ajam de má fé e não respeitem nem o próprio país. A questão é que “lá fora” o povo respeita o local onde vive e sabem o valor de uma praça pública por exemplo.

O Brasil é o meu país e o respeito muito. Mas os seus problemas (e não sou poucos) acabam ofuscando sua beleza.

— Parabéns Cintia, site ta top! :3
— Parabéns a equipe por ter desenvolvido tbm :3


Mar 13, 2015

Ótimo post, falou tudo!


Mar 14, 2015

Tinha esquecido como voce escreve bem! Muito feliz que você voltou!! Site lindo <3


Mar 15, 2015

Vejo muito disso também Cintia,eles reclamam tanto do Brasil e acabam se esquecendo de que quem faz um bom país são eles.
Amo viajar e conhecer novas culturas,acho que pode melhorar muita coisa no Brasil,porém,quem faz isso é você,somente nós podemos melhorar nosso país.
E Cintia,amei o site,ficou lindo,adoro seus vídeos e posts!!!Achei hilário a crônica da velhinha sem calcinha hahahah
Parabéns Cintia!!!!


Mar 17, 2015

Cintia, você é simplesmente ótima em tudo o que posta, seja vídeo ou escrita.
Compartilho de sua opinião tanto quanto a aprecio.
Muito inteligente e simples a sua forma de explicar/ironizar essa gente que muito reclama e pouco faz.
Hoje foi a primeira vez que visitei o seu site. :)
Parabéns, querida!
Está um chuchu! rs
Desejo sucesso pra ti, pois você merece.
Beijos


Apr 06, 2015

Olha, pensei umas duas ou três vezes antes de postar isso aqui, mas tomei uma boa dose de coragem e resolvi escrever. Brasil é um país bacana? Sim, categoricamente o Brasil é um país incrível. Há uma diversidade cultural enorme, fauna e flora como em nenhum outro lugar do mundo. Abundância geográfica e gigante pela própria natureza. Porém, há algo nesse país que difere inclusive dos nossos vizinhos Sul Americanos. A PORCARIA DO SISTEMA BRASILEIRO. Nunca me senti tão indignado, ludibriado, sacaneado e feito de palhaço como tenho me sentido atualmente. Economia quebrando aos poucos, valor monetário ridículo, falta de mão de obra qualificada, ensino deteriorado e de péssima qualidade, preços abusivos, serviços medíocres e muito mais. De fato tudo por aqui acaba em pizza e nada é realmente apurado. E não estou falando de um partido político vermelho, azul, branco, verde etc, na minha humilde opinião, são todos corruptos. Tenho 37 anos, e há muito tempo trabalho muito e meu dinheiro não rendeu o bastante para comprar uma casa, um carro “popular” que de fato é um lixo frente a outros carros vendidos na Argentina por exemplo. Estou realmente cansado, abatido, nervoso e estressado com a situação por aqui. Solução: estou alimentando planos, fazendo economia e estudando ao máximo para sair do país em no máximo dois anos. Destino? Canadá. quero ser um funcionário medíocre aonde o sistema seja no mínimo mais educado e consciente.


Apr 10, 2015

Concordo com você Cintia, em número, gênero e grau!Se não fosse tanta corrupção, esse país seria de 1º mundo, mas daí a pessoa vai para fora do país e volta escraxando o Brasil, é demais! Como você disse, lá fora não suja a rua, aqui saí atirando latinha pela janela, nós somos responsavéis pelas nossas atitudes, sejam elas em qualquer lugar! Beijos, parabéns pelo texto!


Apr 19, 2015

Concordo, se aprendeu tantas coisas em outros lugares, porque não trazer consigo para começar a mudar pelo menos um pouco as coisas que te fazem insatisfeito!


May 20, 2015

Quando se usa muito idioma e trocar as palavra de modo natural pode ser até relevado, pois muitas vezes a palavra no outro idioma faz mais sentido do que a do idioma nativo.

O critério educação pode se considerar? (na questão país estrangeiro é melhor)

Brasileiro faz errado, estrangeiros não?!
Isso depende, pois vai depender de cada um, outros fazem bem por que se cobram e são detalhistas, perfeccionistas, oputros nem tanto pois não estão nem ai, perfis assim existem em todos o mundo.

Brasil é “Terceiro Mundo”.
O velho ditado, sou pobre mas sou limpinho deveria pelo menos ser bem a cara do Brasil, mas nem isso!


Sep 21, 2015

realidade puraa!


Oct 30, 2015

Tapa na cara!


Nov 23, 2015

Ahazooou, queria mandar pra vários migos e migas q só sabem falar mal do brasil e ficam lambendo bunda de gringo


Nov 23, 2015

Felizmente também não tenho essas frescuras, e dá até um nojo de ver isso (principalmente de uns anos pra cá) em novelas da Globo, personagens misturando inglês e português de uma forma tão tosca que chega a dar dor de ouvido.
Além disso, eu também concordo plenamente com você nesse ponto: Não precisa ser patriota para ter o mínimo de respeito com a sua terra natal ou onde você viveu. É aquele ditado que, apesar de não muito certo aqui, até dá para encaixar: “Não se cospe no prato em que comeu”, afinal, na maioria das vezes essa gente ainda volta para o Brasil, e tem mais é que lavar esse prato cuspido. Haha.


Nov 24, 2015

Excelente post, continue com esse trabalho ótimo!!!


Nov 24, 2015

Adorei Cíntia! Pq todos conhecem aquele brasileiro que viajou e começa a falar mal do Brasil e da cultura e dos brasileiros, sendo que falar mal de brasileiro é tbm falar mal de si próprio, viajou e mudou de cidadania por acaso?


Nov 24, 2015

ARRASOU! É exatamente o que eu penso!


Nov 25, 2015

É desse jeito, msm. A criatura viaja passa 6meses no Canadá e volta cheio de frescura. Ano q vem talvez eu vá para o Canadá, mas não voltar como esse povo leso.


Nov 27, 2015

Tirou as palavras da minha boca com este texto. Quando vejo pessoas reclamando do Brasil e não fazendo nada para melhorá-lo, a minha vontade é mandar elas arrumarem as malas e vazarem, não tenho paciência para esse tipo de pessoa, não mesmo.


Dec 12, 2015

Cintia, texto ta mega legal, parabens, concordo com vc, to morando em Toronto há 7 meses, antes de vir achei seu e tem me ajudado muito (obrigada), nao sei se mudou muita coisa desde q vc saiu daqui, mas ja consigo ver os defeitos e qualidades daqui e ainda assim meu Brazilzao nao sai do coracao e da mente, uma coisa que me chateia/irrita nas FDPQVF é o fato de nao respeitarem quem diz que quer voltar pro Brasil ou só falarem mal do seu próprio país e ainda discoradarem quando um estangeiro tenta elogiar algo sobre ele.


Feb 07, 2016

Gostaria de saber sobre o curso de Tradução que você fez.


Nov 18, 2016

Verdades, Mentiras, Teorias das Conspirações, Complexos de Vira-Latas e tudo mais podem até ser exageros, mas terror urbano que mata mais do que nações em guerra, educação de baixíssimos aproveitamentos e IDH vergonhoso e saúde caótica e de péssima qualidade não são “frescuras “, são estatísticas da realidade de um povo incomparável e digno de misericórdia mundial



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *